E qual é a cor do vestido?

  No texto “A Luz e o Olho” abordamos como a luz de objetos e de fontes luminosas chega aos olhos, sua transformação em impulsos elétricos (pelo fenômeno de transdução) e o caminho percorrido por essa informação até chegar ao cérebro, onde é processada e interpretada. O resultado final dessa cadeia de processos é a percepção do mundo ao nosso redor.
   Nem sempre essa percepção tem uma correspondência exata com a realidade física, então ocorre o que chamamos de ilusões. As ilusões são um material excelente para estudar o funcionamento do sistema perceptual. Já tratamos de algumas ilusões nos textos “Ilusão de Ponzo”, “Ilusões de imagens híbridas”, “Ilusão de Distorção Facial”, “Da minha janela eu vejo… uma grande de Hermann”. Além disso, cabe destacar que a percepção pode variar em função da cultura e entre os indivíduos dessa mesma cultura (como você e eu), o que foi apresentado no texto “Aos gregos o mar era violeta”.
    Um exemplo interessante  de ilusão ganhou a internet nesses últimos dias. Uma postagem no site Buzz Feed com o título “What Colors Are This Dress? (em tradução livre, “quais as cores desse vestido?”) provocou grande reação na mídia, sendo que a postagem até esse momento tem quase 37 milhões de visualizações!
Figura 1. A imagem do vestido que ganhou a internet. Ao final desse texto está uma imagem do vestido com suas cores originais. Fonte: Buzz Feed
    Ao ver a imagem, algumas pessoas relatam que ele é azul e preto (meu caso) e outras que ele é branco e dourado (caso do Leonardo e do Rui, também autores do blog). A discussão em torno das cores reais do vestido tem gerado muita polêmica e reações acaloradas, incluindo alguns artistas e atletas dando opiniões (confira alguns atletas aqui e alguns artistas aqui).
Qual a explicação dessa incongruência de percepções?
Figura 2. A cor percebida do vestido pode ser modulada pelo contexto (fundo) no qual ele está inserido. Você acha que o vestido à esquerda é da mesma cor do vestido à direita? Essa imagem apresenta o original (centro) e variações à esquerda (para parecer branco-doutorado) e à direita (para parecer azul-preto). Fonte: Wired
    Obviamente, para responder a essa pergunta devemos conhecer um pouco sobre a percepção de cores. É comum nos perguntamos se a cor que eu vejo é a mesma que outra pessoa vê. Essas imagens do vestido ajudam a colocar mais lenha na fogueira. Mas o que é a cor? Segundo Schiffman (2005):
“As sensações cromáticas são efeitos totalmente subjetivos produzidos pela luz refletida de certos comprimentos de onda do espectro visível sobre o sistema nervoso” (p. 85).
Ou seja, a visão de cores depende de como nosso cérebro irá interpretá-las.
    Um dos fenômenos envolvidos na percepção de cores é a constância de cor. Nesse fenômeno, a cor de um objeto se mantém constante, apesar de mudanças sutis que possam ocorrer em sua luminância – luz refletida por ele. E um dos fatores que afetam a constância de cor é o efeito de fundo. Esse efeito é uma compensação das mudanças de iluminação dos objetos. Um exemplo simples, se você olha para uma camiseta vermelha iluminada pelo sol ao ar livre e pela lâmpada fluorescente de dentro de sua casa, não percebe diferenças no “vermelho”, apesar de existirem mudanças. Não percebemos isso porque toda a cena visual (fundo) mudou.
   No caso do vestido se dá o mesmo: o fundo da imagem (contexto) modula a percepção da cor do vestido conforme realizamos uma compensação entre a luminosidade contextual e a cor do vestido. A divergência na percepção das cores (azul-preto ou branco-dourado) ocorre porque esse processo de compensação varia de pessoa para pessoa, fruto da história individual. Então, provavelmente as pessoas que enxergam o vestido branco e dourado interpretam a iluminação do ambiente como, por exemplo, vinda de uma lâmpada fluorescente (tom azulado) e assim realizam uma compensação (“extraem” o azul o vestido). Por outro lado, as pessoas que enxergam o vestido azul e preto (suas cores reais¹) interpretam a iluminação do ambiente como mais próxima do amarelo e, assim, o efeito de compensação é minimizado. Ou seja, você está compensando a cor do fundo e sua relação com a cor do vestido. 

   Duvida do que explicamos? Basta olhar o GIF abaixo e talvez você já perceba o vestido nas duas cores antes citadas:

Figura 3. Agora consegue ver o vestido nas cores branco-dourado e azul-preto? Fonte: Wired
E para você, quais são as cores do vestido?

Figura 4. Qual a cor do vestido? Fonte: Como eu me sinto quando
   Esperamos que o texto tenha deixado claro que as pessoas que enxergam o vestido dourado e branco (como dois de nosso autores) não têm problemas de percepção de cores, nem possui daltonismo. Inclusive, o daltonismo será tema de um próximo texto. Esse fenômeno da cor do vestido é resultado de um processo normal do funcionamento do nosso sistema visual, que precisa interpretar os sinais ambíguos do ambiente. Essa interpretação varia entre as pessoas em função de sua história de vida e nos mostra que a realidade que percebemos não reflete, necessariamente, a realidade física.

Bruno Marinho de Sousa, 
com a colaboração de Leonardo Gomes Bernardino
Para saber mais:
Schiffman, H. R. Sensação e Percepção. Rio de Janeiro: LTC, 2005.
Wired: The Science of Why No One Agress on the Color of This Dress

¹O vestido é preto e azul, como na foto abaixo. Não acredita? Então clique aqui e/ou nessa reportagem da CNN.

Figura 5. A cor real do vestido. Segundo os fabricantes ele não está disponível na cor branco-dourado. Fonte: Just Jared

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s